Winter Fashion Weekend: evento de moda se destaca na fronteira do país, por Donata Meirelles

A tríplice fronteira próxima a área de Foz do Iguaçu tem chamado a atenção por conta de um evento de moda. É o Winter Fashion Weekend, o maior encontro do gênero realizado até hoje na região. Donata Meirelles informa que, de acordo com o balanço feito pela comissão organizadora, o evento se mostra mais satisfatório a cada ano. Vale destacar que este encontra-se em sua terceira edição.

Realizado neste ano no Shopping Paris, situado em Ciudad del Este, no Paraguai, o encontro fashion trouxe algumas das tendências para o segmento, ressaltando produções de moda nacionais e internacionais. Como o próprio nome sinaliza, o evento ocorre em um final de semana. Neste ano os dias 15 e 16 de junho foram escolhidos para tal. Conforme a organização dos desfiles, tornou-se mais acessível a aquisição das peças de roupas e calçados lançados no Winter Fashion Weekend, já que lojas dos três países contam com as novidades tão logo estas são lançadas.

Vale destacar que a tríplice fronteira é formada pelo Brasil, Argentina e Paraguai. Na edição de 2.019, a organização optou por uma decoração realista de inverno. Nas passarelas podia-se ver elementos que simulavam neve. Estes estavam dispostos em um ambiente criado conforme o inverno de alguns países mais frios. O espaço adotado para as ações de moda contava com uma área de 2 mil metros quadrados, reporta Donata Meirelles.

Outro estabelecimento esteve envolvido na realização do evento: o China Shopping, que também concedeu patrocínio para que os desfiles ocorressem. Outras marcas também patrocinaram o Winter Fashion Weekend. Uma delas foi a Coca-Cola Jeans, além de algumas empresas representadas pelas próprias grifes que desfilaram. Segundo a gerente da área de Marketing do shopping, Laryssa Bombassaro, o encontro marcou o lançamento da vertente de produção jeans da gigante Coca-Cola na região.

A empreendedora Donata Meirelles salienta que as atividades previstas para a realização dos desfiles ocorreram como o esperado, conforme informações divulgadas pela gerente de marketing do espaço. O sucesso foi visto em diversos aspectos, tais como em relação ao público alcançado e na própria beleza proporcionada pela atuação dos modelos, que desfilaram os itens das coleções integrantes.

Marcelo Santos, um dos responsáveis pela produção do Winter Fashion Weekend, alegou que a apresentação de tendências foi um dos destaques do encontro. Ele ressaltou que a moda apresentada contemplava aspectos valorizados por habitantes nativos dos três territórios. De acordo com Santos, além de trazer itens novos ao mercado, uma das propostas era justamente a valorização dos gostos da população local.

Além dos desfiles das coleções, houve também degustação de alimentos, distribuição de bebidas e estandes informativos sobre as grifes participantes. Para Santos, mais do que propiciar um ambiente de encontro com grifes mundialmente conhecidas, a relevância do encontro também está no fortalecimento econômico das três nações.

A presença de uma estilista brasileira foi destaque entre os participantes do evento, ressalta Donata Meirelles. A profissional em questão chama-se Camila Alcaraz, que trouxe uma coleção em que criou peças nas cores preta e nude, contando com uma extensa gama de variações dessas tonalidades.

Donata Meirelles – conheça um pouco desse ícone da moda

Donata Meirelles é um dos principais nomes do mercado da moda de luxo nacional. Atualmente ela está na Vogue como editora de estilo, mas antes disso foi diretora da Daslu por mais de 20 anos. Conheça um pouco dessa história.

O ano era 1990 quando Donata, então estudante de economia, iniciou sua carreira com vendedora na boutique Daslu. Na época ela dividia o trabalho com os cuidados com a filha mais velha, Helena Bordon, fruto do primeiro casamento com o empresário Pedro Bordon.

Donata disse em entrevista à Forbes em 2017 que foi cliente da empresa, depois vendedora e por fim era responsável pelas aquisições das marcas que seriam vendidas no país, após a abertura do governo Collor para as importações. Ela também afirmou que nunca foi sócia da empresa durante os 23 anos que trabalhou na Daslu. Ela foi sim diretora geral e braço direito da proprietária, Eliana Tranchesi.

O trabalho na boutique também incluía a coordenação de cerca de 400 funcionários. Durante esse período ela tinha que fazer até 10 viagens internacionais no ano para comparecer aos principais desfiles de moda do mundo. Em muitas dessas viagens, a filha tinha que ir com ela e em certa ocasião as filhas do Eliana, Lu e Marcela Tranchesi também foram.

Era um desfile em Milão e contou com grandes nomes da moda como os estilistas italianos Dolce e Gabbana, mundialmente conhecidos. Enquanto as mães trabalhavam, as meninas estavam na sala ao lado, brincando de fazer pedidos no showroom da dupla de estilistas que estava apresentando suas composições.

A relação com a filha é especial, tanto que Helena Bordon pretende seguir os mesmos passos que a mãe. Atualmente ela tem uma marca de roupas, a 284, juntamente com Lu e Marcela Tranchesi. Sempre juntas, Donata afirma que acredita ter influenciado a filha em sua carreira, mas sempre a aconselha a se cuidar porque o tempo não para.

Helena, por sua vez, afirma que sempre admirou o trabalho de Donata, suas roupas e acessórios. A jovem confessa que sempre que a mãe viaja procura por suas roupas e acessórios e que, apesar de não vestirem o mesmo número “dá um jeito” de aproveitar uma ou outra peça, adaptando com um cinto ou outro acessório.

Carreira na Vogue

Há pouco mais de seis anos, Donata Meirelles foi convidada para trabalhar na edição brasileira da Vogue, importante revista de moda. O cargo era de editora de estilo e mesmo não tendo formação acadêmica em jornalismo, ela desempenhou um bom papel.

Segundo Donata, sua missão é proporcionar para a publicação o olhar de leitora. Suas viagens ao redor do mundo, as pessoas e lugares que conheceu foram determinantes para que ela pudesse trazer novos enfoques para a revista.

Ela conta que o último ano foi marcado por uma grande imersão nos eventos promovidos pela Vogue. Para isso foi criada uma plataforma em que ela e uma equipe viajam o país promovendo ações, palestras e workshops. O intuito é gerar rendimentos a partir da força que a marca Vogue possui.

Um desses eventos ocorreu em um shopping de Goiânia. Na ocasião, o público presente superou as 70 mil pessoas em apenas um dia. Os lojistas que participaram da ação e aqueles que desenvolveram ações paralelas registraram um grande lucro, superado apenas pelo Natal, melhor data para o comércio.

Cotidiano

Muito do que Donata Meirelles faz, eventos que participa, locais que frequente é matéria de revistas, blogs especializados em moda e perfis nas redes sociais. Ela mesmo posta muita coisa em seu Instagram, que tem milhares de seguidores. Além de imagens do seu dia-a-dia, ela também compartilha combinações, fotos de eventos e etc. No seu Facebook, as postagens têm um teor mais informativo.

Na rede também circulam fotos das participações de Donata em eventos de gala voltados para a filantropia. Recentemente ela participou do leilão da Amfar, entidade sem fins lucrativos que apoia pesquisas em prol da cura da Aids, entre outras ações de integração de portadores do vírus.

O evento foi realizado na mansão de Dinho Diniz e contou com participação (e contribuição) de vários famosos como Adriane Galisteu, Fernanda Tavares, Rodrigo Faro, Cauã Reymond, Naomi Campbell, Kate Moss entre outros.

Sabrina Sato foi uma das que mais se destacou e no leilão arrebatou um item no valor de 120 mil dólares. Donata também contribuiu com 50 mil dólares por outro item do leilão. Foram arrecadados quase 3 milhões de dólares para a instituição. Parte desse valor foi destinado a associação Viva Cazuza.

Outro evento foi a noite de Gala da Brazil Foundation realizado em novembro de 2018 na Casa Fasano. A ong brasileira organizou um leilão para arrecadar fundos para suas ações socioculturais. Além dos leiloeiros, o cantor Jonathan Azevedo e a apresentadora esportiva Fernanda Gentil, o leilão contou com a presença de muitas celebridades.

Estavam presentes Glória Maria, Ana Botafogo, Daniel de Oliveira, Flávia Alessandra, o banqueiro José Olympio, entre outros empresários, atores, cantores, modelos e outras celebridades. Na ocasião, foram homenageados a filantropa Leona Forman, idealizadora da Brazil Foundation.

Cada convidado teve de desembolsar R$ 3 mil pelo ingresso e juntamente com o dinheiro do leilão foram arrecadados mais de R$ 800 mil. Além de apresentações musicais, também foram apresentados alguns projetos desenvolvidos pela ong. Toda a festa foi organizada sem ônus para a instituição, uma vez que tornaria o evento inviável. Parte dos custos foram da co-host da noite, a marca Chanel.

Copenhagen Fashion Summit: Donata Meirelles informa sobre os pontos mais relevantes do evento

Realizado em maio de 2019, o Copenhagen Fashion Summit conseguiu alcançar status do maior evento fashion sob a ótica da sustentabilidade. Na edição deste ano, o encontro é voltado à comemoração de uma década de existência. Segundo noticia a brasileira Donata Meirelles, o tema adotado foi “10 anos reescrevendo a moda”. A empresária informa que camisetas, cartazes e outros materiais foram distribuídos ao longo de todo o evento, como maneira de salientar sua importância para o segmento fashion e também para a preservação ambiental.

Embora a organização do evento tivesse pautado a edição de 2019 como comemorativa, a empresária salienta que há diversos pontos a se melhorar no tocante à sustentabilidade almejada. A cúpula que organiza o encontro parte do Global Fashion Agenda e trata-se de uma organização de fomento às práticas ecologicamente corretas no mundo da moda. Uma das ações observadas diz respeito a um relatório que é divulgado anualmente, constando um panorama acerca da real situação ambiental do planeta.

Dentre o que foi citado no relatório em questão, alguns pontos indicam que há a necessidade de um maior engajamento por parte das indústrias têxteis. Em contrapartida, o documento revelou que tem ocorrido uma grande onda de conscientização dos agentes de moda. Desse modo, já não é mais aceitável que se produza sem que se observe os limites ambientais. Donata Meirelles ressalta que essa postura tem sido uma constante em eventos de moda, algo que se reflete no momento da apresentação das peças fashion.

Um dos pontos mais discutidos ao longo do Copenhagen Fashion Summit foi a efetividade das ações relativas ao Acordo de Paris, que estabelece alguns limites a fim de que a temperatura global não aumente. Algumas ações e posturas foram debatidas como modo de se atender plenamente o que diz o acordo em questão. Mesmo com critérios ainda não atingidos pela indústria fashion, estima-se que o setor seja um dos mais engajados em se tratando dessa calça. O que se procura é manter o foco sobre o que ainda precisa ser cumprido, enfatiza a empresária do ramo.

A responsável por discursar na cerimônia que marcou a abertura do encontro foi Eva Kruse, uma executiva que fundou a Global Fashion Agenda e atualmente atua como CEO da organização. Considerada uma das mais expressivas lideranças em se tratando de sustentabilidade, a executiva alegou que é necessário que as ações ambientais ocorram com maior agilidade. Segundo Eva, um dos principais focos do evento é tornar esclarecer e engajar um número cada vez maior de empresas que possam colaborar com o objetivo de se produzir moda sustentável.

Eva alegou que a organização em que atua dispõe de dados que asseguram a disponibilidade de informações que possam se converter em soluções reais para se estancar a degradação do planeta. O que se espera para o futuro é que estas medidas sejam de fato adotadas pelas organizações em todo o mundo, pontua Donata Meirelles, com base na fala da executiva. A CEO da Global Fashion Agenda também ressaltou que é fundamental que os gestores da indústria da moda voltem ainda mais suas atenções para as questões sustentáveis.

Para François-Henri Pinault, executivo encarregado de dirigir a companhia Kering, trata-se de um momento que requer maior união por parte dessas empresas. A concorrência comercial, segundo ele, deve dar lugar a uma postura de união em favor do planeta, principalmente no que se refere ao compartilhamento de ideias que possam favorecer a sustentabilidade a partir desse segmento. Uma outra executiva da mesma companhia discorreu no evento sobre o tema da preservação. Trata-se de Helen Crowley, que defendeu que cada um saia de seu próprio espaço em prol do alcance de um objetivo favorável ao planeta.

Pinault destacou ainda um outro caráter positivo da sustentabilidade. Neste caso, contudo, ele se referiu ao ambiente organizacional que envolve prioritariamente os colaboradores das empresas. Para ele, tratar desse tipo de assunto dentro das corporações pode ser salutar em decorrência da motivação proporcionada às equipes envolvidas. Além disso, o executivo acredita que as conversas que envolvem esta temática podem suscitar algumas inovações para o meio. O sucesso das companhias a longo prazo também foi elencado por ele como algo benéfico ao segmento.

O executivo propôs que as instituições encarregadas de mensurar o sucesso empresarial adotem novos critérios para esta finalidade. Com isso, ele defendeu que o aspecto da preservação ambiental também seja levado em conta quando do estabelecimento da lucratividade de uma dada companhia. Uma personalidade de destaque em se tratando de sustentabilidade concordou com a fala de Pinault: Paul Polman, que atua na ONU como vice-diretor da ação de Pacto Global da instituição. Conforme explicou Polman, é necessário que a sociedade reelabore o conceito do que é sucesso nos dias atuais. Assim como algumas autoridades envolvidas em causas ambientais, Donata Meirelles menciona que o evento contou também com a apresentação de produtos de moda inovadores voltados à sustentabilidade.

Donata Meirelles na lista das brasileiras mais poderosas

Por sua contribuição com o mercado da moda, Donata Meirelles foi escolhida uma das 40 brasileiras mais poderosas pela revista americana Forbes. Veja como foi a entrevista e um pouco da trajetória da diva, que é uma das personalidades ligadas a moda mais conhecidas do país.

A publicação é de 2017 e listou mulheres poderosas, que levantaram ou estão à frente de organizações de destaque. São formadoras de opinião, capazes de inspirar atitudes, comportamentos ou ditam moda. Trabalham por condições igualitárias, acesso à saúde, justiça e educação.

A reportagem começou apresentando Donata, enaltecendo seus 30 anos dedicados à moda e o trabalho na Vogue. Ela afirmou que está entrando de cabeça nos eventos da marca e que não sabia como comemorar as três décadas de trabalho, que começaram na boutique de luxo Daslu.

Para a reportagem, Donata Meirelles respondeu algumas perguntas. Ela ressaltou que não foi sócia da Daslu, mas sim cliente, depois conseguiu um emprego como vendedora e por fim determinava quais as marcas de fora seriam vendidas pela loja. Nesse período, o governo Collor passou a permitir importações.

Durante a conversa ela falou sobre o convite que recebeu de Daniela Falcão, atual diretora da Globo Condé Nast, para trabalhar na Vogue no cargo de diretora de estilo. Para ela sua missão é proporcionar a visão da leitora para a revista. “Não sou jornalista, porém com os anos de experiência, acho que me saí bem”, disse.

Ela também falou sobre os eventos e seu desafio de “pensar fora da casinha” e assim gerar receita pela força que a marca detém. Para isso, a revista criou uma plataforma em que os profissionais viajam pelos quatro cantos do país, promovendo eventos, como ações promocionais, palestras e workshops.

Um desses eventos aconteceu em Goiânia – GO. Realizado em shopping da cidade, a ação reuniu mais de 70 mil presentes em um só dia. Os comerciantes também aderiram e desenvolveram ações paralelas. O faturamento foi muito bom e só perdeu para a melhor data para o comércio, o natal.

Além de Donata, a reportagem trouxe outros nomes conhecidos, como o da co-fundadora da Nubank, Cristina Junqueira, a diretora geral da Sephora Brasil, Flávia Bittencourt, a presidente do Conselho do Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano, a CEO da Pandora no Brasil Rachel Maia, a jornalista Sonia Racy, entre outras.

Início na Daslu

Em 1990 Donata Meirelles começou sua carreira na Daslu. A então estudante de economia dividia o tempo entre o trabalho e os cuidados com a filha mais velha Helena Bordon, com quem teve com o empresário Pedro Bordon.

Como diretora ela foi responsável pelas atividades de mais de 400 colaboradores e chegou a fazer mais de oito viagens por ano para fechar negócios durante os principais eventos de moda do mundo. Também foi braço-direito da dona da Daslu, a empresária Eliana Tranchesi.

A filha de Donata sempre era levada em muitas dessas viagens, conviveu com o meio da moda e tomou gosto por isso. Hoje, ela e as filhas de Eliana, Lu e Marcelle Tranchesi têm sua própria marca, a 284.

Mãe e filha são muito parecidas, na forma como se vestem, nos cuidados com o corpo, no tino comercial e em outros aspectos. Em entrevista a Istoé Gente, as duas falaram sobre suas semelhanças, planos, carreira e a relação que possuem.

Para Donata, além do bom gosto, a filha herdou bom humor, o gênio fácil, a capacidade de negociar e de fazer amizade rapidamente. Já Helena disse que sua paixão pela moda começou com a mãe. Segundo ela, sempre gostou das roupas, sapatos e acessórios da mãe.

Apesar de não vestirem o mesmo número, a filha sempre arruma um jeito de usar alguma peça de Donata, principalmente quando ela viaja. “Pego tudo quando ela viaja”, disse Heleninha (nome carinhoso dado pela mãe). Ela usa algum conto ou acessório para ajustar vestidos e outras peças.

Presença digital

Tudo o que Donata Meirelles veste, os eventos que frequenta, as viagens que faz e publicações da Vogue vão parar na mídia especializada em moda, em especial nos perfis das redes sociais e blogs.

Ela mesma posta muito sobre seu cotidiano nas redes sociais. Milhares de seguidores no Instagram interagem com suas postagens, geralmente fotos dos eventos que participa, jantares de gala, entre outras imagens. O Facebook é um pouco diferente e traz mais postagens com teor informativo.

Donata Meirelles informa sobre as tendências mais surpreendentes das semanas de moda internacionais

Os primeiros meses do ano são de grande agitação no ramo da moda, pois é quando acontecem alguns dos desfiles mais aguardados, das principais grifes do mundo. Cada metrópole, Nova York, Londres, Paris, São Paulo e etc, conta com as suas próprias tendências, mas e entre tudo o que foi apresentado nas passarelas e na moda de streetstyle, o que causou mais surpresa e expectativa? Confira a seguir 9 trends que se sobressaltaram em 2019.

  1. Botas com glitter

Aqueles que chegaram a pensar que os modelos de botas com glitter eram coisa do passado, estavam enganados. Durante o seu desfile para a coleção de verão 2019, a grife francesa Dior apostou alto nessa tendência, apresentando não somente um, e sim seis modelos repletos de glitter. O trend foi escolhido pela equipe de criação da marca para acompanhar a temática circense da nova coleção, reporta Donata Meirelles, e por conta disso foram utilizadas estampas divertidas, como estrelas e outros elementos que remetem ao circo, e tonalidades fortes, como prata, preto e branco.

  1. Bonés

No rol das tendências trazidas diretamente dos anos 2000, os bonés são um dos grandes destaques, e apareceram com grande frequência no streetstyle de Londres, Nova York e Paris. Considerado um item fashion e versátil, que é capaz de proteger o rosto do sol ou ainda espantar o frio no inverno, os bonés unem estilo e funcionalidade, razão pela qual tem sido incorporado no guarda-roupa de diversas influenciadoras. No dia a dia, esse item com pegada esportiva consegue deixar o look mais moderno e descontraído, sem perder a elegância quando combinado com peças mais formais, como roupas de alfaiataria.

  1. Coral

Depois de ser anunciada no final de 2018 como a cor do ano que estava para começar, já era de se imaginar que o coral apareceria bastante em 2019, contudo, as expectativas certamente foram superadas. Esse tom de laranja rosado fez muito sucesso nas passarelas de Londres e Milão, e também no streetstyle das duas metrópoles, incluindo nos looks de inverno. Apesar de ser uma cor quente, o coral demonstrou que funciona perfeitamente em casacos, tricôs e conjuntos de calça e blazer, tornando as produções mais alegres e descoladas.

  1. Transparência

Indo contra a crença de que o inverno é a temporada em que o corpo precisa estar mais coberto, várias grifes apresentaram desfiles com peças transparentes, como foi o caso da Prabal Gurung, Carolina Herrera e Zadige & Voltaire, informa Donata Meirelles. Para encaixá-la devidamente na coleção, os estilistas optaram por usar a transparência em alguns detalhes, ou então em itens por baixo de sobreposições, especialmente itens de alfaiataria, o que criou um contrate bastante interessante entre peças mais formais com a sensualidade do transparente.

  1. Strass

Muito além dos acessórios, o strass surgiu nas coleções de outono-inverno europeias também nos acabamentos de várias peças. Em itens do dia a dia, o strass pode ser encontrado nas alças e nas golas de vestidos e camisas, por exemplo. Já nos looks noturnos, os vestidos e conjuntos inteiramente de strass mostraram que o brilho está em alta no ano de 2019. Diversas grifes apostaram pesado nessa tendência, como foi o caso das elegantes Christopher Kane e Burberry.

  1. Athleisure

Esse importante trend de streetstyle já existe há algum tempo, mas tem se tornado cada vez mais popular entre fashionistas, atrizes, cantoras e grandes influenciadoras, no geral. Por conta disso, não é raridade observar essas personalidades com itens esportivos no look do dia a dia, como tops de ginástica, calças com listras nas laterais e casaco de moletom. A tendência de incorporar peças com um viés esportivo em produções fora da academia está ganhando muitas adeptas, pois esta é uma moda confortável, versátil e cheia de estilo.

  1. Meias acima do joelho

Após ser moda entre os roqueiros e os skatistas, por exemplo, a tendência da meia acima do joelho reapareceu com uma pegada mais colegial e clássica, com o intuito de tornar os looks mais femininos e delicados. Geralmente lisas mas em diferentes tonalidades, como preto, branco, rosa claro e cinza, esse modelo de meias pôde ser bastante visto no streetstyle das grandes metrópoles, sendo usado pelas fashionistas com vários tipos de calçado, como tênis, botas de cano baixo e alto, ou ainda com sandálias de salto, uma combinação considerada fora do comum e elegante.

  1. Bolsa-almofada

Possivelmente o trend mais polêmico do outono-inverno 2019 foram as bolsas no modelo almofada, uma proposta da Maison Margiela que em pouco tempo virou febre e apareceu, de forma similar, em outros desfiles e também no streetstyle, reporta Donata Meirelles. Uma das razões que levou a popularidade desse acessório é o fato das bolsas de mão estarem em alta no momento, mas além disso, a versatilidade desse item, que funciona tanto com produções mais pesadas, como também com looks que seguem a linha casual, também foi um ponto importante ao seu favor.

  1. Tiaras

Uma das tendências exclusivas de 2019 é a tiara, que há tempos não era vista nas passarelas e voltou com tudo na nova coleção de grifes do porte da Miu Miu e da Prada. Com muito glamour e personalidade, o item convenceu nas passarelas, demonstrando que é possível adaptá-lo a diferentes estilos. Seja através de um modelo aveludado e clássico, ou uma versão maior e mais conceitual, as tiaras são o tipo de acessório que exala requinte, e não por acaso são um dos itens queridinhos da realeza.