Recomendações dos clientes: como escrever e onde colocar?

A jornada do comprador está ficando mais longa, os clientes respondem cada vez menos aos truques de publicidade e marketing e é mais difícil do que nunca obter sua confiança. O que fazer? Inspire confiança através de provas sociais e, em particular, notícias e recomendações.

Imagine que alguém está procurando seu produto, liga para o amigo e pede conselhos, e um amigo se oferece para entrar em contato com você. Esse comprador chega até você por recomendação. As recomendações dos clientes postadas em um site ou aterrissagem funcionam quase da mesma maneira, apenas essa comunicação não é entre amigos, mas entre um comprador e a massa.

Existem dois tipos de recomendações. O primeiro é o conteúdo gerado pelo usuário: em um blog ou em uma página de uma rede social, o comprador menciona o quanto ele ama seu produto. O segundo tipo de feedback aparece a pedido: você pergunta ao comprador o que ele pensa de você e ele responde.

Ambos os tipos de recomendações são úteis, mas onde colocá-los e como eles ajudarão sua empresa?

O que é uma recomendação? Uma recomendação de um cliente é uma revisão positiva e imparcial do seu produto, serviço ou empresa. O autor da recomendação já comprou algo de você e fala sobre como ele gostava de lidar com você.

Quando você publica uma recomendação em seu site ou página de destino, ela se torna pública: todos que pensam em uma compra podem lê-la e avaliar a utilidade dela. As recomendações podem ser curtas ou longas. Algumas empresas publicam recomendações de vídeo muito atraentes, outras postam fotos de clientes ao lado de críticas.

Ferramentas de rastreamento de comportamento – As ferramentas de rastreamento comportamental permitem monitorar o movimento dos usuários no site: você verá de onde eles vêm, quais páginas visitam, quais links clicam e como interagem com elementos interativos.

Por exemplo, o mapa de calor vai mostrar que parte dos usuários Landing são mais ativos. Observe também os cartões de rolagem para ver quando as pessoas começam e terminam a rolagem. Com base nesses dados, coloque as recomendações dos clientes nos lugares certos.

Portanto, se ninguém inspecionar esta ou aquela página até o final, colocar recomendações é inútil: ninguém as verá. Por outro lado, se você vir que os visitantes estão usando ativamente o menu lateral, adicione uma boa recomendação lá.

Como limpar o CRM

O CRM pode ser comparado ao gerenciador de desktop. Quando há muitas coisas estranhas e nada pode ser encontrado, isso reduz a produtividade do funcionário. Se existe um caos no sistema em que todo o departamento trabalha, as vendas sofrem diretamente com isso. Neste artigo, compartilharemos com você hacks de vida, como limpar o CRM e treinar gerentes para dar suporte a ele.

Por que manter o pedido no CRM – O CRM é um exemplo vívido de uma ferramenta projetada para simplificar os processos de negócios, mas se usada incorretamente, pode até prejudicá-los. Nunca ocorreria a alguém usar um carro sem trocar o óleo ou passar por uma inspeção regular. Portanto, os sistemas que a empresa utiliza todos os dias precisam de limpeza e organização periódica dos dados.

Tarefas criadas erroneamente ou atribuídas a gerentes aposentados, contatos duplicados – essa desorganização cria confusão. E parece que a empresa tem mais compradores em potencial do que realmente é. Nesse caso, você não poderá avaliar a eficácia do departamento de vendas e monitorá-lo.

Solução – As causas do caos no CRM podem ser condicionalmente divididas em externas – quando, durante o trabalho no sistema, transações / tarefas extras aparecem acidentalmente e internas – negligência dos gerentes. Desenvolvemos um sistema de controle que os combate de duas maneiras ao mesmo tempo:

Identifica transações para as quais existem defeitos;

Ensina os gerentes a manter a ordem no sistema por conta própria.

Sistema de controle – Agora vamos prosseguir para manter a ordem. Decida quais situações para o seu funil de vendas são críticas e indique os “cardumes” dos gerentes. Por exemplo, um funcionário não indicou a cidade no cartão do cliente – parece um pouco. Mas imagine que em metade das suas transações a região não esteja clara.

O profissional de marketing exporta as transações perdidas e ganhas no ano passado para entender quais moradores de quais regiões devem segmentar a publicidade de notícias contextuais. Mas ele tira conclusões incorretas – porque os dados estão incompletos. Como resultado, ele lança publicidade contextual em regiões irrelevantes e o orçamento é desperdiçado.

Recomendamos dividir os filtros de acordo com o grau de criticidade, para que seja mais fácil se concentrar nas deficiências mais significativas.

O que é otimização de conversão negativa?

Imagine a seguinte situação. Você acorda na sexta-feira de manhã, se sente bem, toma uma xícara de café a caminho do trabalho e consegue chegar ao escritório a tempo da reunião sobre as métricas de KPI.

Nesta semana, você está entusiasmado ao testar recentemente as novas técnicas de Otimização de Conversão (CRO) que dobraram sua eficiência na geração de leads. Sentindo-se como um verdadeiro herói, você mostra a seus colegas suas melhores práticas.

Qual é o problema das estratégias de CRO que não qualificam os leads – O fato é que, concentrando-se apenas no alcance dos indicadores desejados, você perde importantes fatores de qualidade e a qualificação de leads por e-mail é um bom exemplo disso.

Obviamente, sabemos que a cada novo campo no formulário, a conversão é reduzida em 33% ou mais. Mas essa fração de informações adicionais pode significar a diferença entre fechar um negócio e perder um cliente em potencial.

Para começar, considere a abordagem “tradicional” da otimização de conversões. Normalmente, essas estratégias visam aumentar a taxa de transferência entre os estágios do funil de vendas. Em outras palavras, você aumenta a CTR em 10% para atrair mais tráfego; 25% confirmaram formulários para obter mais leads; 8% de respostas por email para gerar mais SQL, etc.

Confie na otimização negativa – Por mais paradoxal que possa parecer, a essência das notícias negativas é reduzir os indicadores de vendas e marketing. Ou seja, em vez de quantidade, toda a ênfase está na qualidade, e você pode melhorar as métricas típicas, como leads gerados, e coisas mais específicas (tempo para atender um cliente, um indicador de fechamento de vendas).

Essas técnicas podem também ajudar você a conseguir diminuir as métricas tradicionais de vendas e marketing, mas, no final das contas, isso pode levar a um sério crescimento do lucro. Por exemplo, se você adicionar um novo campo a um formulário na liderança Landing, sua equipe de vendas será capaz de trabalhar apenas com lidami qualificado. A produtividade dos funcionários aumentará, porque os clientes mais interessados ​​responderão às suas solicitações. E, no final, o número de transações fechadas aumentará.

Uma nova visão para a assistência à saúde: par de óculos que mede níveis de glicose

Um grupo de pesquisa da universidade da Califórnia em São Diego, estão desenvolvendo um par de óculos capaz de medir os níveis sanguíneos de glicose, álcool e vitaminas, tendo como amostra biológica necessária apenas uma lágrima do paciente. Os dados então são enviados por bluetooth, para o computador ou celular. Uma das participantes deste trabalho foi a pesquisadora brasileira Laís Canniatti Brazaca, que participou da pesquisa quando ainda era uma doutoranda do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo, e, hoje, é pós-doutoranda no Instituto de Química de São Carlos.

O dispositivo funciona, pois, dentro da plaqueta dos óculos, é inserido um dispositivo micro fluídico e super hidrofóbico, que é modificado para cada enzima específica, então, se, por exemplo, o paciente deseja medir seus níveis de glicose, ele deve selecionar o tipo de medição que deseja realizar, inserir o dispositivo, contendo a enzima glicose-oxidase, na plaqueta dos óculos Ela também possui um bastão, com um produto sensível ao olho, para estimular a produção de lágrimas. Assim que a amostra biológica entrar em contato com o biossensor, presente nos óculos, a reação irá ocorrer, produzindo uma variação na corrente do eletrodo, e, então, os dados serão enviados, via bluetooth, para um dispositivo móvel facilitando a leitura dos resultados.

Considerando que as plaquetas dos óculos podem ser alteradas, possibilitando a leitura de mais de um analito biológico, as aplicações desta tecnologia são imensuráveis. A partir do momento que tenhamos uma enzima confiável para a detecção, a aplicabilidade é infinita. Hoje, apenas com as aplicações que citamos anteriormente, já existem milhões de pessoas no mundo que se beneficiariam do uso destes óculos, para o acompanhamento e a manutenção de suas condições clínicas, além de uma melhora considerável na qualidade de vida. Os diabéticos, por exemplo, não precisariam mais comprar os dispositivos invasivos que necessitam de um furo no dedo para obtenção de sangue para o teste, apenas com uma lágrima já teriam uma resposta confiável e segura de seus níveis glicêmicos para o tratamento.

Se você tem interesse em saber mais sobre notícias sobre este dispositivo, basta clicar no link

Apple volta a ser a marca mais valiosa do mundo

Notícias: no fim do ano passado, a Microsoft tirou a liderança da Apple e se tornou a empresa mais valiosa do planeta. Na época, a Microsoft tinha um valor de mercado de US$ 812 bilhões, antes US$ 811 bilhões da empresa de Steve Jobs.

É certo que essa diferença poderia gerar uma pequena mudança nas posições e foi isso que aconteceu. A Apple recuperou a liderança com a valorização nesses quase 12 meses. Hoje a Apple tem valor de mercado de US$ 1,098 trilhão, enquanto a Microsoft vale US$ 1,078 trilhão. Essa diferença de US$ 20 bilhões garantiu a hegemonia da empresa fundada por Steve Jobs.

A Apple também conquistou o título de marca mais valiosa do mundo, com avaliação de US$ 234,241 bilhões.

A disputa está acirrada também pela terceira posição. A Amazon está avaliada em US$ 874 bilhões e o Google em seguida com US$ 872 bilhões.

Microsoft

Os resultados financeiros da Microsoft também surpreendem. Os resultados financeiros referentes ao terceiro semestre de 2019 foram surpreendentes, chegando a receita de US$ 33,1 bilhões e lucro líquido de US$ 10,7 bilhões. Esse montante representa um crescimento de 21%, em relação ao mesmo período de 2018.

Os resultados são muito positivos, tendo em vista que as divisões Xbox e Surface se estagnaram no período. O destaque ficou com os setores de Produtividade e Processos de Negócios com receita de US $ 11,1 bilhões. Outras divisões como Office, Dynamics e Linkedln atingiram US $ 10,8 bilhões, (inclui produtos para servidores e serviços in cloud). A divisão de computação (Windows e Bing) renderam US $ 11,1 bilhões a Microsoft.

O que chama a atenção é o equilíbrio de faturamento entre as três divisões, com cada uma delas faturando cerca de US$ 11 bilhões. Isso denota que a diversidade de negócios é um ponto positivo para a empresa, o que a tornou mais equilibrada e a assegura contra possíveis crises financeiras.