Vendas no comércio eletrônico dispararam no Dia dos Namorados de 2019

A Ebit Nielsen divulgou um levantamento apontando que os casais compraram mais pela internet do que em lojas físicas durante o período do Dia dos Namorados. De acordo com os dados divulgados pela empresa que analisa e mensura dados sobre o comércio eletrônico no país, houve um aumento significativo das vendas no comércio eletrônico durante o período, quando comparado com o ano de 2018. Neste ano, o comércio eletrônico registrou um aumento de 24% nas vendas online de presentes para o Dia dos Namorados.

Além do aumento das vendas no comércio eletrônico, o levantamento apontou que as vendas realizadas em lojas físicas apresentaram uma queda em comparação com 2018. Neste ano, a redução das vendas no varejo físico foi de 2,9%, que é considerado a maior retração dentro dos últimos dois anos para o período.

No ano passado, a greve dos caminhoneiros acabou abalando o comércio eletrônico diante das vendas no comércio. Por isso, o crescimento das vendas registrado neste ano é um reflexo da grande retração observada em 2018. Mesmo assim, o comércio eletrônico registrou um faturamento de R$ 2,2 bilhões no período do Dia dos Namorados. Quando comparado com 2018, esse crescimento nominal chega a 24%.

Neste ano, o tíquete médio dos produtos vendidos no comércio eletrônico apresentou uma variação negativa equivalente a 17%. Ainda assim, os números de pedidos durante o período aumentaram em 50% comparado ao mesmo período no ano passado, totalizando 5,7 milhões de pedidos nas lojas online.

Dentre as categorias que mais venderam no comércio eletrônico estão: perfumaria e cosméticos, com 19,9%; moda e acessórios, com 18,2%; casa e decoração, com 10,3%; eletrodomésticos, com 9,4%; informática, com 5,9%; telefonia e celulares, com 4,8%; esporte e lazer, com 4,1%; alimentos e bebidas, com 3,8%; eletrônicos, com 3,2%; e livros, com 3,1% das vendas realizadas durante o período do Dia dos Namorados.

O Serasa Experian também divulgou dados sobre as vendas no varejo físico de 2019 durante o período que vai de 6 a 12 de junho, alegando uma queda de 2,9% nas vendas em comparação com o ano passado. De acordo com as notícias divulgadas pelo Serasa, essa é a pior queda nos últimos dois anos.