Porque os números de sífilis tem aumentado tanto ao redor do mundo?

O aumento da sífilis no mundo tem se tornado uma das notícias mais frequentes de 2019.

A sífilis é uma doença sexualmente transmissível. Ela pode ser transmitida pelo sexo oral, vaginal ou anal sem o uso de proteção, ou seja, sem o uso de preservativos.

Além disso a transmissão pode ocorrer pelo compartilhamento de brinquedos sexuais.

A sífilis também pode ser transmitida pelo compartilhamento de seringas, agulhas e de drogas injetáveis.

Ou seja, o método de contaminação é bem semelhante ao do HIV e de outras doenças sexualmente transmissíveis.

A diferença é que a sífilis se transmite pelo contato intimo de uma pessoa com a ferida que a sífilis causa.

Importante salientar que esse contato precisa ocorrer de forma direta. Não é possível contrair sífilis sentando no mesmo vaso sanitário de uma pessoa com sífilis ou compartilhando assentos de bancos.

Para se ter uma ideia, o número de pessoas infectadas com sífilis no Reino Unido mais do que dobrou nos últimos 10 anos.

Entre os motivos está o sexo sem proteção, a contaminação no compartilhamento de seringas e principalmente por que muitas pessoas perderam o medo de pegar doenças como o HIV o que faz eles não utilizarem preservativos.

Fazer sexo com vários parceiros é outros dos motivos desse aumento na transmissão de sífilis de acordo com pesquisa.

No caso as pessoas pegam sífilis de um parceiro ou parceira, não sabem que estão com a doença, fazem sexo com outra pessoa sem proteção e transmitem a sífilis por consequência disso.

A sífilisaparece como uma ferida indolor que pode permanecer por até 8 semanas no local. O desaparecimento da ferida não significada que a pessoa está curada da doença. É necessário fazer o tratamento específico.

Os locais mais comuns dessa ferida aparecer são: pênis, vagina e anus.

Mas ela pode aparecer também em outros locais do corpo, como: boca, lábios, dedos e nádegas.

Glândulas presentes no pescoço, axila e virilhas podem ficar inchadas devido a sífilis.

A única forma de se prevenir dessa doença ainda é o uso de preservativo.