Copenhagen Fashion Summit: Donata Meirelles informa sobre os pontos mais relevantes do evento

Realizado em maio de 2019, o Copenhagen Fashion Summit conseguiu alcançar status do maior evento fashion sob a ótica da sustentabilidade. Na edição deste ano, o encontro é voltado à comemoração de uma década de existência. Segundo noticia a brasileira Donata Meirelles, o tema adotado foi “10 anos reescrevendo a moda”. A empresária informa que camisetas, cartazes e outros materiais foram distribuídos ao longo de todo o evento, como maneira de salientar sua importância para o segmento fashion e também para a preservação ambiental.

Embora a organização do evento tivesse pautado a edição de 2019 como comemorativa, a empresária salienta que há diversos pontos a se melhorar no tocante à sustentabilidade almejada. A cúpula que organiza o encontro parte do Global Fashion Agenda e trata-se de uma organização de fomento às práticas ecologicamente corretas no mundo da moda. Uma das ações observadas diz respeito a um relatório que é divulgado anualmente, constando um panorama acerca da real situação ambiental do planeta.

Dentre o que foi citado no relatório em questão, alguns pontos indicam que há a necessidade de um maior engajamento por parte das indústrias têxteis. Em contrapartida, o documento revelou que tem ocorrido uma grande onda de conscientização dos agentes de moda. Desse modo, já não é mais aceitável que se produza sem que se observe os limites ambientais. Donata Meirelles ressalta que essa postura tem sido uma constante em eventos de moda, algo que se reflete no momento da apresentação das peças fashion.

Um dos pontos mais discutidos ao longo do Copenhagen Fashion Summit foi a efetividade das ações relativas ao Acordo de Paris, que estabelece alguns limites a fim de que a temperatura global não aumente. Algumas ações e posturas foram debatidas como modo de se atender plenamente o que diz o acordo em questão. Mesmo com critérios ainda não atingidos pela indústria fashion, estima-se que o setor seja um dos mais engajados em se tratando dessa calça. O que se procura é manter o foco sobre o que ainda precisa ser cumprido, enfatiza a empresária do ramo.

A responsável por discursar na cerimônia que marcou a abertura do encontro foi Eva Kruse, uma executiva que fundou a Global Fashion Agenda e atualmente atua como CEO da organização. Considerada uma das mais expressivas lideranças em se tratando de sustentabilidade, a executiva alegou que é necessário que as ações ambientais ocorram com maior agilidade. Segundo Eva, um dos principais focos do evento é tornar esclarecer e engajar um número cada vez maior de empresas que possam colaborar com o objetivo de se produzir moda sustentável.

Eva alegou que a organização em que atua dispõe de dados que asseguram a disponibilidade de informações que possam se converter em soluções reais para se estancar a degradação do planeta. O que se espera para o futuro é que estas medidas sejam de fato adotadas pelas organizações em todo o mundo, pontua Donata Meirelles, com base na fala da executiva. A CEO da Global Fashion Agenda também ressaltou que é fundamental que os gestores da indústria da moda voltem ainda mais suas atenções para as questões sustentáveis.

Para François-Henri Pinault, executivo encarregado de dirigir a companhia Kering, trata-se de um momento que requer maior união por parte dessas empresas. A concorrência comercial, segundo ele, deve dar lugar a uma postura de união em favor do planeta, principalmente no que se refere ao compartilhamento de ideias que possam favorecer a sustentabilidade a partir desse segmento. Uma outra executiva da mesma companhia discorreu no evento sobre o tema da preservação. Trata-se de Helen Crowley, que defendeu que cada um saia de seu próprio espaço em prol do alcance de um objetivo favorável ao planeta.

Pinault destacou ainda um outro caráter positivo da sustentabilidade. Neste caso, contudo, ele se referiu ao ambiente organizacional que envolve prioritariamente os colaboradores das empresas. Para ele, tratar desse tipo de assunto dentro das corporações pode ser salutar em decorrência da motivação proporcionada às equipes envolvidas. Além disso, o executivo acredita que as conversas que envolvem esta temática podem suscitar algumas inovações para o meio. O sucesso das companhias a longo prazo também foi elencado por ele como algo benéfico ao segmento.

O executivo propôs que as instituições encarregadas de mensurar o sucesso empresarial adotem novos critérios para esta finalidade. Com isso, ele defendeu que o aspecto da preservação ambiental também seja levado em conta quando do estabelecimento da lucratividade de uma dada companhia. Uma personalidade de destaque em se tratando de sustentabilidade concordou com a fala de Pinault: Paul Polman, que atua na ONU como vice-diretor da ação de Pacto Global da instituição. Conforme explicou Polman, é necessário que a sociedade reelabore o conceito do que é sucesso nos dias atuais. Assim como algumas autoridades envolvidas em causas ambientais, Donata Meirelles menciona que o evento contou também com a apresentação de produtos de moda inovadores voltados à sustentabilidade.