Projeção feita pelo Itaú para PIB da economia brasileira recua para 1%

Nas projeções anunciadas pelo Itaú, o PIB (Produto Interno Bruto) deverá apresentar um crescimento ainda menor neste ano. A projeção para o PIB do país foi corrigida pelo banco para apenas 1%, sendo que a projeção anterior era de um crescimento de 1,3%. Ambos os resultados mostram uma desaceleração na economia do país. No ano passado, as projeções do Itaú lançadas neste mesmo período eram de um crescimento de 1,1%, ou seja, neste ano até mesmo as projeções são de crescimento mais lento.

Neste primeiro trimestre, as estimativas do banco são de que o país apresentou um recuo de 0,2% na economia geral. Anteriormente as novas notícias divulgadas pelo banco, a previsão era de um recuo de 0,1%.

O economista-chefe do Itaú que assinou o relatório realizado pelo banco, Mario Mesquita, ainda informou sobre as novas projeções: “A produção industrial contribuiu significativamente para a desaceleração no crescimento do PIB, considerando o recuo apresentado de 1,3% em fevereiro”. Mesquita ainda completou dizendo: “Além disso, o mês de março foi fortemente marcado pela queda na criação de empregos e o mês de abril não se mostrou favorável para a recuperação da confiança do empresário, o que mostra um cenário bastante ruim para a economia do país”.

Ainda sobre as projeções, o Itaú divulgou em seu relatório trimestral uma nova projeção para o PIB do ano que vem, que foi reduzida para 2%. Anteriormente a essa divulgação, a projeção para 2020 era de 2,5%.

Esses e outros indicadores econômicos tem oferecido um cenário bastante ruim para a economia brasileira. É por isso que analistas tem alterado projeções de crescimento do PIB deste ano. Antes do Itaú, o Bradesco também divulgou um novo relatório apontando revisões para o crescimento do PIB. No caso do Bradesco, a projeção foi estimada em 1,1%.

Já o relatório Focus, divulgado no dia 13 de maio de 2019 pelo Banco Central do Brasil, apontou um recuo um pouco menor do que as projeções realizadas pelos dois bancos, indo de 1,49% para uma estimativa de 1,45% de crescimento para o PIB deste ano. De acordo com os dados já levantados pelos economistas do Banco Central, essa é a 11ª vez que o relatório Focus aponta uma queda no crescimento do PIB.