Produção industrial brasileira registra queda de 1,3% em março de 2019

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) informou no dia 3 de maio de 2019 que a produção industrial do Brasil apresentou uma queda de 1,3% em março deste ano. A queda foi registrada através de uma comparação com o mês de fevereiro, período em que foi registrado um crescimento de 0,6%. De acordo com as notícias informadas pelo instituto, esse novo resultado contribui para a queda acumulada de 2,2% ao ano para o setor industrial.

Este é o pior resultado em comparações mensais desde o mês de setembro de 2018, quando o IBGE registrou uma queda na produção industrial de 2,1% em todo o país. Já na comparação com o ano passado, março deste ano apresentou uma redução de 6,1% na produção industrial. Essa queda comparada entre os anos só é menor da que foi registrada em maio de 2018 quando comparado com maio de 2017, onde houve uma redução de 6,3%.

Os dados divulgados pelo IBGE mostram um cenário para a produção industrial ainda pior do que já era esperado por especialistas. A Reuters e outros diversos especialistas estimada uma queda de 0,7% quando comparado março com fevereiro. Na comparação anual, era esperado uma queda de 4,6%. Ou seja, os números reais ultrapassaram as projeções proporcionando um recuo muito maior do que o esperado.

Considerando apenas o acumulado dos últimos 12 meses, a produção industrial tem queda acumulada de 0,1%, sendo que este resultado é o primeiro registro de queda desde o mês de agosto de 2017, período em que o setor registrou queda de 0,1% no acumulado dos 12 meses. Esses dados mostram o quanto a economia do país está fraca e caminha em um ritmo muito mais lento.

Depois de uma recuperação expressiva no ano passado, a produção industrial apresentou um ritmo mais lento a partir de julho de 2018, e até o momento a economia deste setor tem apresentado perda de dinamismo. Os resultados de março mostram que o setor industrial do país ainda está 17,6% abaixo do patamar mais alto já registrado, que ocorreu em maio de 2011.