As novas formas de se destacar no mercado profissional como empreendedor

Diante do desemprego em grande escala que assola o Brasil, o emprego fixo de carteira assinada tem se tornado cada vez menos interessante por parte da população mais jovem brasileira, que não conseguem se estabelecer no mercado, ou mesmo, pelo fato das oportunidades estarem cada vez mais restritas e sendo exigido em demasia, em troca de pequenos salários para uma área antes bem remunerada.

Em vias do que foi comentado, o empreendedorismo tem sido uma saída para essas pessoas, não necessariamente por não gostarem da profissão que estariam exercendo, mas sim porque nem ao menos conseguiram se estabelecer em suas respectivas áreas de atuação, colocando-os sob uma nova perspectiva profissional e de negócios, seja por escolha que partiu de um simples hobby, como culinária, ou a uma inovação, como ocorrem com as startups.

Ao relatar o modelo empresarial mais simples existente no Brasil, é o MEI – Microempreendedor Individual, em que uma grande cartela de atividades profissionais são disponibilizadas afim de serem registradas com a garantia de uma série de benefícios ao beneficiário desse sistema, que incluem: garantia a aposentadoria, auxílio doença, salário maternidade, ter o auxílio de no máximo um empregado, obter um licenciamento definitivo e alvará de funcionamento, possibilidade de emissão de nota fiscal, o que regulariza o trabalho daquele profissional antes visto como marginalizado, irregular e sem registro.

Para as pessoas que desejarem se vincular ao Microempreendedor Individual há algumas especificações a qual terá que se submeter, como: o pagamento do recolhimento do ICMS ou ISS e do INSS, ter um teto de ganhos avaliado em até 81 mil reais por ano, entre outras. E com isso, o profissional que realizar uma ou várias das atividades protegidas pelo MEI, essa pessoa com mais de 18 anos de idade pode entrar no Site Portal do Empreendedor, tirar todas as suas dúvidas e realizar a sua formalização. Para quem ainda está com curiosidade sobre algumas das áreas abordadas, com uma ocupação principal e até outras 15 secundárias, que são algumas delas: Abatedor(a) de aves com comercialização do produto independente, adestrador(a) de animais independente, alfaiate independente, comerciante de embalagens independente entre muitas outras.