Empreendedores da terceira idade investem em negócios para ambiente digital

Atualmente, de acordo como o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, no país há mais de 30 milhões de pessoas com mais de 60 anos. A longevidade alcançada no decorrer dos anos e a melhora na qualidade de vida, no geral, vêm contribuindo para que parte dos idosos fique por mais tempo no mercado de trabalho e até mesmo adentre na área de negócios digitais.

Um levantamento feito pelo Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, apontou 4 motivos pelos quais pessoas com idade superior a 60 anos não se rendem a aposentadoria tão esperada por muitos. São eles: realização de um sonho ou vocação; fonte de renda principal ou complementar; questões pessoais como qualidade de vida, liberdade ou independência; e identificação com algum segmento considerado bom para investimento.

Ainda através desta pesquisa, foi registrado que 40% dos entrevistados decidiram mergulhar no mundo dos negócios depois dos 60 anos. Os tópicos destacados quando questionados sobre os pontos positivos e negativos desta missão foram, respectivamente: atuar com o que gosta (18%), se sentir satisfeito por alcançar os objetivos propostos (14%) e ampliar o aprendizado com base em acertos e erros (14%); e, em contraponto, não ter com quem dividir o peso das frustrações e fracassos (15%), ter a obrigação de pagar impostos (13%) e assumir riscos (11%).

O diretor de Administração e Finanças do Sebrae, Vinicius Lages, também ressaltou que por meio deste estudo foi possível notar que além dos motivos mencionados anteriormente, o profissional tem o desejo de aproveitar sua vasta experiência e aplicar em negócios próprios.

Muitos dos profissionais que, em tese, estão próximos ou já poderiam estar aposentados têm buscado investir em negócios inovadores, sendo boa parte das ideias originadas a partir de uma necessidade ou desejo pessoal não atendido. Como é o caso da plataforma de residência compartilhada, criada por Veronique Forat (61) e Marta Monteiro (64); do aplicativo que tem o intuito de promover o exercício do cérebro através de jogos para a terceira idade, idealizado por Paulo Camiz de Fonseca (67); e ferramentas voltadas para a educação, desenvolvidas por Karuo Kaneto (71).